Roupa para advogado – Faz diferença? Por quê devo me vestir bem?

2509
0
COMPARTILHAR
Roupa para advogado
Roupa para advogado

Roupa para advogado é um tema que intriga os profissionais da área. Afinal, por que devo me vestir bem enquanto profissional do direito? Faz alguma diferença? Veja nossas dicas:




Se você é advogado veterano certamente já se deparou com a situação: o juiz é novato na comarca e ninguém o conhece. Chega na sala e ninguém o reconhece como a autoridade que irá presidir o ato. Todos continuam falando, gracejando e até falando mal do magistrado. De repente ele senta na cadeira ao centro da sala, ao lado do assessor e todos então se calam.

Incrédulos, alguns cochicham, outros ficam envergonhados, mas todos vão se dirigir ao togado com a mesma reverência: Bom dia Excelência.

No caso fictício acima o juiz chegou à audiência de tênis, causa jeans, camisa de malha e uma mochila nas costas, ele é motoqueiro. Pessoa comum e que se veste comumente, nada de mais.

Mas qual é a roupa para advogado?

Já que você se interessou pelo título do artigo, certamente já se perguntou: por que devo me vestir bem para ir ao Fórum? A primeira resposta pode desagradar a muitos, mas é a mais pura verdade: a roupa diz muito sobre a pessoa.

A impressão que você deixa em um ambiente é marcada em boa parte pela roupa que você está vestindo. Se é bem alinhada, te veste bem, te deixa elegante ou imponente, as pessoas com certeza te verão com outros olhos. Pode parecer absurdo, mas é da essência do ser humano.

O belo sempre foi agraciado

Desde a antiguidade o homem aprecia o belo, o bem talhado e bem arrumado. Todos apreciam uma aparência limpa, sem arrestos, em perfeita harmonia com o ambiente. Não é questão de moda ou modismos, é questão de apresentar-se com aspecto limpo e bem tratado.

Imagina um candidato a uma vaga chegar em uma entrevista de emprego todo maltrapilho, com a barba por fazer, roupa rasgada, aspecto de mendigo. Certamente ele não conseguirá aquela vaga de emprego.

Um exemplo

Então, imagine-se como um advogado, nas mesmas condições que o candidato acima. Você conseguirá seu emprego? Provavelmente não. Isso porque o advogado, assim como o candidato a uma vaga, está sempre pedindo emprego. Você pede emprego ao seu cliente que no fundo é seu empregador. É ele quem te sustenta, trazendo casos para que juntos vocês ganhem dinheiro.

A roupa pode sim fazer a diferença

Agora imagina se um cliente novo te vê mal vestido, com aparência pouco agradável ou mesmo com roupas iguais ao do juiz que iniciou esta matéria. Ele poderá pensar: se esse advogado até hoje não resolveu a vida dele, como ele vai resolver a minha?

A diferença entre você e o juiz é que ele tem um emprego estável e vitalício e não precisa de ninguém, além dele mesmo e do Estado, para se sustentar. Já você precisará sempre dos clientes, seus patrões, seus empregadores.

Em uma sala de audiência ou mesmo em uma diligência no fórum, para resolver um problema para seu cliente, a roupa pode fazer uma enorme diferença. Pode até ser o fator determinante entre ser ou não atendido de forma eficaz.

Então, nada de desleixo

Então, da próxima vez que pensar em sair de casa com aquela calça jeans que você ama ou aquela camiseta “da hora”, lembre-se que a roupa é uma de suas ferramentas de trabalho. Comprar boas vestimentas em seu caso não é gasto, é investimento.

O que vale é o bom senso e tomar bastante atenção com o zelo pela limpeza pessoal. Cabelos sempre alinhados, barbas bem feitas, roupas em bom estado e condizentes com o ambiente e, claro, competência para trabalhar. Afinal, você não vai sobreviver na advocacia sendo apenas mais um rostinho bonito na praça.

Receba nossas dicas semanais!
Insira seu e-mail
Nós respeitamos sua privacidade!

E se você já vivenciou alguma situação que envolva o tema, deixe seu comentário, nós vamos adorar.

Comentários

comentários