Erros cometidos por advogado iniciante

3010
0
COMPARTILHAR
erros cometidos por advogado iniciante
erros cometidos por advogado iniciante

Os erros cometidos por advogado iniciante.

Terminados os 5 cinco anos de estudos na faculdade de Direito e conquistada a tão sonhada Carteira da Ordem, o mais novo advogado tem pela frente seu maior desafio: construir uma carreira sólida. Ela vai se deparar, no decorrer deste percurso, com grandes obstáculos e muito provavelmente cometerá erros, assim como qualquer humano falível.




Pensando nisso resolvemos tirar da cartola algumas dicas importantíssimas aos advogados iniciantes. Veja agora os erros mais cometidos pelos advogados iniciantes e como evitá-los:

1. Arrogância

A soberba, além de um pecado capital, pode ser determinante para uma carreira bem sucedida, ou não. Quando saímos da faculdade temos a falsa impressão de que o mundo parou e que o advogado veio para fazê-lo voltar a girar com seu magnífico conhecimento. Acontece que muitos se empolgam e esquecem que no mundo real as coisas não funcionam conforme sua música.

Por mais que você seja o cara na arte jurídica lembre-se que sempre do outro lado tem alguém que quer se fazer entender ou simplesmente te entender. Palavras rebuscadas e demonstração de muito saber podem ser interpretados como arrogância.

“A simplicidade é o último degrau da sabedoria”

Khalil Gibran

Se você é daqueles que chega ao cumulo de chamar todos de burros, tem uma grande chance de ver sua carreira caminhar para o fundo do poço. Ninguém gosta de pessoas arrogantes e prepotentes.

Nunca pense que é mais inteligente que todo mundo. Mas se pensa assim, guarde esse sentimento em uma gaveta muito bem guardada, no mais profundo porão de teus pensamentos. Isso pode até servir para te dar forças, mas nunca para fazer as pessoas te seguirem ou te admirarem.

As pessoas mais sábias sabem que o são. Elas não saem dizendo que sabem mais que fulano ou cicrano, elas simplesmente sabem e compartilham seu conhecimento. Ao invés de chamar alguém de burro, ensine-a como se faz, sem que ela se sinta inferior com isso.

 Lembre-se: as pessoas são o espelho do que você é. Se você é educado, todos serão educados com você. O contrário também é verdade.

2. Falta de Postura

Ter postura na carreira jurídica é algo primordial. O bom profissional sabe se portar e tratar as pessoas com urbanidade. Ele sempre terá os demais operadores do direito como aliados.

As portas do Fórum sempre se abrirão para o bom advogado. Aquele que trata seus funcionários com educação e respeito certamente terá tratamento VIP em qualquer lugar que estiver.

Saiba como se portar em diligências no Fórum

O advogado tem que ser firme e saber o que quer, mas sem ser rude ou prepotente. Tem que estar preparado para as situações mais adversas e saber se sair delas com elegância e dignidade.

Você não pode deixar suas fraquezas em evidência, mostre que tem capacidade para resolver qualquer situação. Mostre que seu conhecimento supera suas fraquezas.

Seja brigão apenas onde interessa, no papel. Saiba que nenhum funcionário ou juiz vai te dar algo porque você o ameaçou ou deu um soco em suas fuças. O advogado inteligente fala na hora certa e se cala quando tem que calar. Não ofende ninguém. Um leve tapa de luvas pode doer mais que um soco no meio do nariz.

Se viu que o funcionário está exaltado, tome as providências cabíveis. Apele, agrave, denuncie, mas nunca ofenda alguém em seu trabalho.

3. Deslealdade

Nos dias atuais, o pensamento de que o mundo é uma selva de pedras está cada vez mais evidente. O individualismo é imperioso para aqueles que acham que ninguém está por ele, mas todos estão contra si.

Não é por menos. Hoje somos 907 mil, mas estimativas revelam que até 2018 seremos mais de 1 milhão de advogados. Com uma economia cada vez mais fragilizada, a procura por clientela se tornou um martírio para alguns colegas.

A clientela está sumindo, pois quanto menor o consumo, menor o número de reclamações e ações a serem ajuizadas. O mesmo ocorre no mercado de trabalho e por aí vai.

Advogados não são inimigos

Neste contexto advogados novatos têm a falsa impressão de que passar a perna no colega é questão de sobrevivência. Alguns chegam até a panfletar na frente do escritório do “adversário”. Além de uma evidente violação ao Estatuto do Advogado, essa prática se revela de uma deslealdade sem tamanho.

Entretanto, esse não é o caminho, o colega não é seu inimigo, o mercado se conquista e suas habilidades e competência serão mostradas dentro do Fórum e não fora dele. Não adianta passar a perna nos outros, seja outro advogado, cliente ou mesmo o juiz, tudo o que você fizer refletirá mais tarde em sua carreira. O tempo cobra sua fatura.

Particularmente não conheço um advogado que se destacou por sua desonestidade. A história que te contaram, de que pra ser um bom advogado tem que ser desonesto é mentirosa, pura falácia, mito. Não caia nessa.

Além de postura, o advogado tem que ser íntegro e saber lhe dar com os colegas de profissão. Por incrível que pareça, advogados podem ser uma ótima referência para advogados. O bom colega profissional sempre é reconhecido por seus pares.

Então, ao entrar em um escritório de advocacia, nada de ter inveja do colega que conseguiu uma ação boa, ou rebaixar o colega que patrocinou a ação de um possível cliente rico. Pior ainda, nunca falar mal de outro advogado, isso só mostra o quanto você também é péssimo profissional.

4. Falta de organização

Obviamente o advogado desorganizado tem maiores chances de perder prazos, audiências ou documentos. Pra dizer o mínimo.

Tenha uma agenda, seja eletrônica ou de papel. Deixe-a sempre muito bem organizada. Se não tiver uma secretária, inscreva-se em sites ou aplicativos que mandem avisos de seus compromissos. Existem centenas espalhados pela internet.

O maior sinal de que você é um mau profissional é o esquecimento ou atrasos a compromissos. Isso pode te custar anos a mais de trabalho e dedicação. Você deve ter em mente que sua carreira será construída ao longo dos anos e que cada peça que você coloca para erguê-la vai pode te levar um passo a frente ou pra trás.

Então, invista em tecnologia, se for o caso. Compre ou assine programas que irão ajudá-lo a organizar e otimizar seu ambiente trabalho. Você verá que não será um dinheiro gasto em vão. As pessoas irão falar bem de sua organização e trarão outros clientes para seu escritório.

Uma boa dica é não manter papéis de clientes em seu escritório. Compre um bom scanner e digitalize todos os documentos. Só mantenha aqueles papéis absolutamente necessários. Arrume um bom local para guardá-los e devolva-os assim que possível.

5. Despreparo

O despreparo pode ser os piores defeitos do advogado. Não estamos falando de falta de conhecimento em si, mas desconhecimento da matéria que você vai enfrentar em uma audiência, por exemplo. Já vi muitos advogados iniciantes se enrolarem em uma audiência por não ter estudado a matéria antes. Problemas banais que poderiam ser solucionadas com a simples intervenção do advogado em audiência, mas que não foram solucionados por puro despreparo. Fruto do pensamento bem comum entre advogados iniciantes de que podem resolver a causa com o que já sabe.

Por isso, não saia pensando que aprendeu tudo na faculdade. É mentira, você não sabe tudo. Nem tenha a audácia de dizer que sabe. Ninguém sabe. Estude antes das suas audiências. Cada caso tem suas peculiaridades e podem ter soluções diferentes. Trace sua linha de defesa e defenda-a com garra na audiência. Seu cliente estará sempre te avaliando. Se você se sair bem ele vai sair espalhando, se se sair ruim ele também espalhará. Então, prepare-se. Sempre.

6. Desleixo com a aparência

A roupa que o advogado usa pode definir o tipo de profissional que ele é. Por mais absurdo que pareça, as pessoas julgam o profissional da advocacia pelo seu vestuário.

Então, saiba como se vestir, use a roupa adequada para cada ocasião. Um advogado bem vestido e adequadamente alinhado pode se sobressair sobre os outros. O cliente percebe e isso influenciará sim em sua carreira profissional.

Não estamos falando em estar sempre na moda ou usando roupas de grife. Falamos em ter um aspecto apresentável. Barba bem feita, cabelos arrumados, mesmo que longos, mas bem aparados. Sua aparência é seu cartão de visitas.

Pode parecer bobeira, mas já vi muitos estudantes de direito preocupados com a aparência que irão apresentar ao iniciarem suas carreiras. E eles não estão errados. Lembre-se: o cliente sempre estará te julgando.

Leia nossa matéria sobre o assunto e tire algumas dúvidas

7. Falta de cultura geral e Escrita

Podem parecer dois erros, mas uma é resultado da outra. A falta de leitura pode levar o advogado a ter o que chamamos de atrofia cultural. Além de perder em conteúdo com o passar dos anos, o advogado que não ler ou costuma ler pouco, entra em processo de esquecimento. Perceba que hoje em dia, com o advento dos aplicativos de celular, você pode até saber escrever determinada palavra, mas de tanto vê-la ser escrita de forma errada, acaba errando também.

Talvez um dos erros mais graves cometido pelo advogado, não só o iniciante, é a escrita. Mais precisamente a má escrita. Escrever bem é um fundamento da advocacia. Se você é falho neste fundamente, provavelmente vai falhar na advocacia. Uma petição mal redigida pode ser catastrófica.

Um dos piores erros que pode ser cometido pelo advogado não é nem de concordância (erro comum atualmente), mas erro o de grafia. Já vi petições que fariam Aurélio (aquele do dicionário) se contorcer todinho no túmulo. Isso é reflexo da falta de leitura do advogado.

O bom advogado está sempre lendo e se atualizando. E não estamos falando aqui somente de leitura de leis, doutrinas e jurisprudências. Falamos de leitura em geral. Ler de tudo um pouco certamente vai te fazer mais culto. Uma boa dica é reservar, no mínimo, de meia a uma hora por dia para leitura extrajurídica.

Outro grande desafio do advogado é manter a coesão nos textos de suas peças. O exame da ordem se tornou algo quase mecânico. Os cursos preparatórios praticamente ditam o que você deve escrever. E isso, na prática, pode ser um desastre.

Mantenha a coesão

Entrevistando alguns juízes locais ficamos sabendo que a maior dificuldade dos advogados é manter a coesão entre os fatos e o pedido. Pode parecer básico, mas muitos advogados ainda erram nisso. Certo juiz chegou a dizer: “eles estão tão preocupados em ganhar seu dinheiro que esquecem de resolver o real problema do seu cliente”. Segundo o magistrado certa vez chegou a pegar uma petição anulatória de débito em que o causídico fundamentou bem a peça, mas ao final pediu somente danos morais. Ele deixou de lado o pleito principal, a declaração de nulidade da dívida.

Então, na hora de escrever ou fazer um pedido não esqueça: aquele pedaço de papel pode resolver não só a sua vida, mas a vida de outra pessoa também. Por isso, faça bem feito, revise, leia em voz alta, procure erros. É sua reputação que está em jogo.

Dicas semanais incríveis!
RECEBA NOSSO CONTEÚDO VIP!
Respeitamos sua privacidade. Seu e-mail não será compartilhado

Falamos aqui de alguns erros cometidos por advogados iniciantes e esperamos que você, advogado iniciante, tenha tido algum proveito nestas considerações. E se você tem mais alguma dica de erros cometidos por advogados, não perca a oportunidade e deixe suas impressões aqui nos comentários. Teremos o prazer em publicá-las.

Comentários

comentários