Dieta da proteína funciona?

2081
0
dieta da proteina
dieta da proteína

E sobre essa dieta da proteína, o que você já ouviu falar?

Bem, se você planeja emagrecer, vou te dar uma boa notícia: estudos nacionais e internacionais na área de nutrição tem comprovado que a dieta da proteína é eficaz para perca de peso! É mais uma alternativa saudável para fazer o corpo se livrar daquela gordura extra, Estudos feitos em Campinas, SP, sugerem que a dieta da proteína como uma forma inteligente de administrar a própria fome. Vamos te explicar tudo já. Mas primeiro…




…você sabe o que é a dieta da proteína?

Essa dieta é simples, se baseia no seguinte: carboidratos são cortados da dieta, para dar lugar a mais proteínas. Isso mesmo, mais proteínas no lugar de alguns carboidratos. E isso acelera a perca de peso. Sabe como? Se liga no porquê do sucesso dessa dieta:

  1. Primeiro, porque você vai ficar mais tempo sem comer. A sensação de saciedade é maior, no consumo de proteínas, porque elas demoram a ser digeridas.
  2. Segundo, porque o seu corpo vai queimar mais calorias para digerir as proteínas ingeridas. A digestão é lenta justamente pela dificuldade natural do processo digestivo das proteínas. O corpo gasta mais energia para digeri-las, e a longo prazo essa queima extra de calorias vai se refletir na perca de gordura corporal.
  3. Menor acúmulo de gordura: o corpo vai se acostumar a queimar mais calorias todos os dias, de modo que o tecido adiposo não terá mais a tendência de crescer.
  4. Conservação sadia do corpo: as proteínas proporcionam uma dieta mais saudável, pois irão evitar a perca de massa muscular. A dieta em si, proporciona o ganho relativo, em músculos, se for aliada a exercícios. Ter mais músculos, aumenta a queima de calorias por movimento, se comparado a uma pessoa comum.

Entendeu a sacada? As proteínas servem para deixar o metabolismo ativo de uma maneira interna e semipermanente, se for uma dieta prolongada.

Como fazer a dieta da proteína?

Então, o que comer pra tudo isso dar certo? Essa dieta tem uma vantagem excepcional: os alimentos são fáceis de encontrar, são comidas comuns, pratos do cotidiano. O recomendado é que se substitua entre 17 e 22% dos carboidratos consumidos, por proteínas. Isso significa cortar:

Massas, como o pão.

Algumas sementes e cereais, como pipoca, amido.

Mel.

Essas são as principais fontes. Mas relaxe, suas refeições não vão mudar.

Não vão mudar mesmo.

Isso, porque a dieta da proteína é feita acrescentando a proteína aos lanches – onde geralmente se come mais carboidratos. Afinal, pães, torradas, biscoitos, são comidas até típicas em um lanche ou outro. É isso que vai levar corte.

Por isso, como sugestão, passe a incluir as seguintes fontes de proteínas, nos seus lanches matinais:

Castanhas

Nozes

Linhaça

Abacate

Soja

Iogurte

Queijo

Atum

Sardinha

Entre outros. Pesquise alimentos ricos em proteínas, com baixo índice de gordura, e modifique seu lanche matinal, lanche da tarde, e ceia noturna. No máximo, o café da manhã – você pode aumentar a quantidade de proteínas do café da manhã, mas sem comprometer as necessidades nutricionais dessa refeição importante.

Hortaliças e frutas também são ricas em proteínas; mas se pressupõe que já estejam na dieta normal, na forma de lanches e salada do almoço. Por isso, fica aqui o reforço de jamais abrir mão do consumo de 1 ou mais frutas durante o dia, e sempre comer salada no almoço.

Leia também: Como emagrecer com saúde e sem passar fome

O carboidrato e o açúcar evitado, vai fazer falta?

Considerando uma rotina normal, não fará falta. Mas para quem pratica esportes com frequência, fica a recomendação: para não atrapalhar a dieta das proteínas, aumente a glicose antes do exercício, do jogo, ou do trabalho pesado que vá executar. Uma bebida doce, por exemplo, é o bastante pra dar o pique que o carboidrato daria – e são digeridas mais facilmente.

Uma dieta mais radical exclui qualquer derivado de trigo, massas e alimentos mais calóricos como abacate, banana e outros. Os açúcares são substituídos por adoçantes com stévia, sucralose e aspartame. Alguns adoçantes, como a sacarina, não são recomendados, pois se trata de um derivado do açúcar e possuem alto teor de sódio.

Entretanto, não é aconselhável praticar esse tipo de dieta mais radical por muito tempo, pois carboidratos e açucares são nutrientes importantes ao organismo. Restringí-los por total e por um período muito longo pode trazer sérias conseqüências ao organismo.

Então, a dica é: faça a dieta do carboidrato, mas preste atenção no chamado do seu corpo. Alguns sintomas vão indicar que a falta de um nutriente em seu organismo está prejudicando. Converse com seu médico.

Inscreva-se no site!
Inscreva-se e receba dicas semanais incríveis de saúde e emagrecimento. Dicas de trabalho que você não deve perder!

Comentários

comentários

Artigo AnteriorComo planejar uma alimentação saudável
Próximo ArtigoComo organizar um escritório de advocacia?